Paraíso: Parte IV

Café Jean B., centro da cidade. Pousou lentamente a xícara de café na mesa a sua frente. O entardecer se alongava no horizonte e o chão do calçadão apinhava-se de pombos, gordos e cinzentos esperando por migalhas. Sua forma supostamente aleatoria de andar o estava deixando angustiado. Desviou o olhar para a praça, diante de Leia mais… »

Paraíso: Parte III

Lá estava ele, sem saber o que fazer, com aquela imensa besta respirando em sua cabeça. Desejou que fosse mais um sonho, mas tinha uma horrível sensação de que desta vez, estava mesmo acordado. Mas estava mesmo? Tentou permanecer imóvel, mas não conseguia parar de tremer e as correntes começavam a fazer barulho, ao mesmo Leia mais… »

O Porteiro da Noite (The Night Porter, 1974)

Considerando o elevadíssimo número de reclamações recebidas (4), muito embora não solicitadas, fazem-se necessários alguns esclarecimentos. Primeiro, uma leitura mais atenta à introdução da resenha anterior poderia evitar muitas das dúvidas, angústias e dissabores supostamente experimentados por algumas(ns) leitoras(es) adictas(os) mais desavisadas(os). Especial atenção para a primeira parte mesmo: o título “Resenha Misantrópica”. Poderia perder Leia mais… »

Paraíso: Parte II

Enquanto isso, do Outro lado. Rolava o cigarro apagado de um lado para outro da boca, assim como giravam vertiginosamente os pensamentos em sua cabeça e os transeuntes pelas calçadas cinzas, ratos gris correndo, quebrando esquinas e sumindo em um labirinto cor de chumbo, esmagados sob um céu de pedra, apedrejados pela chuva. Ácida. Folheou Leia mais… »

La Rose de Fer (1973, Jean Rollin)

Seja malvindo a mais um novo espaço na rede mundial de computadores, dedicado exclusivamente à perda do seu tempo e de minha paciência. No qual, você: adicto, poderá escapar, uma vez mais, da entediante ou tediosa tarefa de pensar, e mais, de pensar criticamente, coisa que, na improvável hipótese de você saber o que significa, Leia mais… »