The Novel of the Black Seal

Autor: Arthur Machen Ano: 1895 Prologue ‘I see you are a determined rationalist,’ said the lady. ‘Did you not hear me say that I have had experiences even more terrible? I too was once a sceptic, but after what I have known I can no longer affect to doubt.’ ‘Madam,’ replied Mr. Phillipps, ‘no one Leia mais… »

Trechos de cartas de Lovecraft a respeito do Necronomicon (Traduzido)

Com relação à qualquer dúvida sobre a existência ou não do Necronomicon, livro presente nos Mitos criados pelo escritor Howard Phillips Lovecraft, basta dar uma olhada em alguns trechos de suas cartas para Edwin Baird, Robert Howard, entre outros e verificar sua real origem: Para Edwin Baird (3 de fevereiro de 1924): Certa vez reuniu Leia mais… »

Paraíso: Parte VII

“Ele acordou!” – Uma voz estridente de criança ecoa por todo o lugar. “Meu Deus”, “Caramba”, “Puta que pariu”, “Jesus, amado, filho”. Foram algumas das palavras que ele conseguiu identificar no zumbido uníssono emitido por aquele turbilhão de fantasmas embaçados, que se aproximavam dele, assustados, como se ele fosse a manifestação de um milagre, ou Leia mais… »

Trechos de histórias de Lovecraft a respeito do Necronomicon

September 1922: “Immediately upon beholding this amulet we knew that we must possess it; that this treasure alone was our logical pelf from the centuried grave. Even had its outlines been unfamiliar we would have desired it, but as we looked more closely we saw that it was not wholly unfamiliar. Alien it indeed was Leia mais… »

Paraíso: Parte VI

Uma silhueta esbelta e longilínea, etérea, élfica, cabelos negros e curtos, deixavam entrever um pescoço alvo, imaculado, salvo por um colar prateado, do qual pendia um símbolo que de tão familiar, não conseguiria jamais identificar, às suas costas. Cobertas de seda, que fluía a cada leve movimento em ondas azuis, nebulosas e imemoriais. Um tomo Leia mais… »

Paraíso: Parte V

A Sombra caía sobre Innsmouth, enquanto mirava por alguns instantes a figura sombria desbotando-se na névoa pálida e azul da capa do volumezinho gasto que descansava sossegadamente sobre suas mãos vagabundas. Folheou despreocupadamente as folhas amareladas, enquanto caminhava sem medo e sem atenção pelo labirinto. Labirinto de papel, letra morta e sonhos fragmentados. Texto e Leia mais… »