Recall

Meus passos reverberam no chão de pedra. Poeira vermelha ergue-se morosa conforme caminho. Anoiteceu a pouco. Chego, junto com a noite, à velha cidade, minha progenitora. Ruas raquíticas e silenciosas, distribuídas de maneira randômica por toda a planície. Casebres e construções metálicas misturadas, parasitando umas às outras contra a vontade do homem, levadas por uma onda de crescimento e necessidade

Leia mais

CONVERSAÇÕES FÚTEIS

“Decifra-me ou te devoro” I   Ao longe, em meio à névoa, um vulto aproxima-se. Gritos: S.: -Quem vem lá? Vulto: -Ninguém mais que um amigo. S.: -Amigo? Então diga-me, por favor: onde estamos? Vulto: -E não sabes? Olha em volta de si. Estamos em um daqueles lugares de pesadelo. Escondido em meio a um labirinto de cubículos e becos

Leia mais

Deus escreve certo por linhas tortas

Caro G., A respeito de sua pergunta… deveras impertinente e essas suas inquietações – pueris, veio-me a mente um caso ocorrido comigo há muitos e muitos anos, quando estava eu aproximadamente na mesma situação e idade em que você agora se encontra. Mero aluno, mas sem o privilégio de contar com mestres do calibre que você tão desmerecidamente possui e

Leia mais

The Novel of the Black Seal

Autor: Arthur Machen Ano: 1895 Prologue ‘I see you are a determined rationalist,’ said the lady. ‘Did you not hear me say that I have had experiences even more terrible? I too was once a sceptic, but after what I have known I can no longer affect to doubt.’ ‘Madam,’ replied Mr. Phillipps, ‘no one shall make me deny my

Leia mais

D3US EX M4CH1NA

“Deem-me uma alavanca e um ponto de apoio e moverei o Mundo.” Arquimedes, o Tolo Gravidade. De olhos bem fechados. Tente não se lembrar de como é estar à beira do precipício. Nos altos castelos, nas torres de Babel, no cume das montanhas que nem mesmo a fé pode remover. Nos altos arranha céus, a dez, vinte, trinta, mil andares

Leia mais

Punição

Cena 1: Ressurreição   Da infinita profundidade do abismo, sob a eterna noite do esquecimento e envolto no gélido manto do silêncio, emerge o condenado no Inferno. Tic! Tac! Tic! Tac! Tic! Faz o antigo relógio à parede, logo acima da lareira. Trata-se de uma aconchegante sala, perfumada pelo odor das coisas antigas e luxuosas. Ainda levemente aturdido pela confusão

Leia mais